Monday, May 8, 2017

Olhos de rio

Não sabia o que fazer, 
não sabia o que esperar
Contava as estrelas, 
até o barco chegar, 
deixava o rio passar
Sozinho, à margem
Ohos de rio
que segue pro mar

E leva tudo, 
seguindo sempre
sem medo, 
Olhos de rio,
Correnteza que traga 
tudo, sempre
sempre e repetidas vezes,
tudo e repetidas vezes

Caminha  mais, 
um pouco mais, 
um pouco além
Segue a margem
Na segunda curva, 
olha pra trás 

Se vê, longe, pequeno
Tanto tempo,
tanta dúvida,
tanto caminhar, 
tanto,  sem ir 
a nenhum lugar
 
Vê  os sonhos, 
Deixou escapar
Segue adiante, 
olhos de rio transbordantes,
misturando outras águas

Caminha, muda,transmuta    
Olhos de rio,
finalmente mar

No comments:

Post a Comment